julho 01, 2015

Mr. Right Wanted: Primeiras Impressões

 “Quando você encontra alguém que @ am@ tanto quanto você @ am@, é um milagre”. Se assim como eu, você acha que essa frase melosa tem alguma coisa de errado, então vale a pena assistir mais um pouco de Sonia Sui em seu mais novo drama, Mr. Right Wanted (徵婚啟事) e descobrir exatamente o que não encaixa – e isso nada tem a ver com os arrobas; isso é apenas um empréstimo da escrita de Libras.

Depois de quase um ano fora do ar depois de The Pursuit of Hapiness, Sui volta a telinha na pele de Li Hai Ning, a editora-chefe de uma pequena editora. Aos 32 anos, competente, dona da própria vida e em um relacionamento estável – para não dizer estagnado – com o escritor carro-chefe de sua editora, Fang Cheng Hao (Jerry Huang), ela enfrenta tanto o marasmo de seu relacionamento quanto o bloqueio criativo de Cheng Hao com a mesma praticidade.


Hai Ning é apresentada muito bem como um recorte da mulher contemporânea e bem sucedida. Sua prima, Tian Xin (Yao Yao), também ajuda a delimitar por outros ângulos, como pensam essas mulheres que “chegaram lá” e que não abrem mão do que conquistaram ou se deixam levar pela antiga ideia de que é preciso arrumar um companheiro (leia-se: casar) para validar-se como mulher neste mundo.

Essa visão é muito bem apresentada quando Hai Ning tem o dissabor de descobrir em plena reunião criativa com sua equipe, a traição do namorado com uma ex-colega de trabalho. Ao invés de ouvir às desculpas indesculpáveis de Cheng Hao – que se encontrava na mesma reunião – ou praguejar, ou qualquer uma dessas coisas que se espera, Hai Ning se ocupa imediatamente de tentar encobrir as provas da traição que acabam vazando para alguns repórteres. A cena na qual os dois se confrontam após a descoberta deixa à mostra o que pensam e sentem cada um.

Cheng Hao e sua filosofia de que casamento é um contrato e, portanto, é somente com a concretização do mesmo que ele deixará de se divertir por aí, é também a regra que governa a vida de muitos homens mundo afora. Não só eu, mas Hai Ning discordamos dessa lógica e talvez por isso mesmo, ela esteja resistindo, sabe-se lá desde quando, à casar-se com ele. Ou talvez ela só não se veja casando com ninguém em particular.


Independente das razões que a personagem tem, fica claro nesse primeiro episódio que para ela deve existir muito mais em um casamento do que simplesmente um papel assinado. E percebendo isso e com a ajuda do que diz um jovem entregador, ela decide descobrir o que motiva alguém a casar-se e quem sabe assim desvendar o que há em seu próprio coração.

E prática como ela só, a editora resolve usar essa jornada tanto conhecimento quanto fonte de inspiração: ela cria uma página no Facebook com um falso anúncio de que está à procura de um companheiro para a vida toda, um amor, um amigo.

E assim inicia suas aventuras em busca do homem certo *ba dum tshhh*. Se ele existir é claro.

Mr. Right Wanted foi ao ar no ano passado pela GTV/TTV e encerrou bem no começo deste ano.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTE E/OU RECLAME